Reivindicação do Sisepe, auxílio alimentação será positivo para os servidores, ressalta sindicato

Presidente Elizeu Oliveira ressalta sensibilidade do governador; sindicato espera que governo possa ampliar valores e quantidade de contemplados em breve
28/11/2023 28/11/2023 21:14 951 visualizações

O presidente do Sisepe-TO (Sindicato dos Servidores Públicos no estado do Tocantins), Elizeu Oliveira, saudou, na no início da noite desta terça-feira, 28 de novembro, o anúncio do governador Wanderlei Barbosa de criar um auxílio alimentação de R$ 300. O benefício será para todos os servidores públicos estaduais, sejam efetivos, com contratos temporários ou comissionados, que recebem até dois salários mínimos (hoje R$ 2.640).

A criação do auxílio era reivindicação da atual gestão do Sisepe e foi feita várias vezes ao governo do Estado, sendo em duas oportunidades via ofício. Na ocasião, o sindicato, baseado em experiência de outras unidades da federação e dos demais poderes e instituições do Tocantins, pediu um valor maior – a partir de R$ 900 - e que todos os servidores com salários até R$ 5 mil fossem beneficiados.

“A criação do auxílio alimentação mensal aos servidores é de suma importância. O governador mostra sensibilidade no tema, aportando recursos próprios do Tesouro para ajudar aqueles funcionários públicos que mais precisam”, destacou o presidente Elizeu Oliveira.

Conforme nota informativa divulgada pelo governo, serão contempladas cerca de 17 mil pessoas, ou seja, praticamente um terço de todo o funcionalismo público estadual.

O projeto de lei que cria o auxílio será enviado para a Assembleia Legislativo. A ideia é que a aprovação ocorra ainda em dezembro para que o benefício passe a vigorar em janeiro.

Por fim, Elizeu Oliveira ressaltou esperar que o governo, em breve, possa aumentar o valor do benefício e estendê-lo para um contingente maior de servidores. “O governo e o Estado vêm colhendo bons resultados financeiros. Creio que ampliar o auxílio seria uma medida muito positiva para todos”, ponderou.

Confira, na imagem ao lado, parte de um dos ofícios enviados para o governo do Estado sobre o tema.