Sisepe pede que governo corrija valor para a concessão do auxílio alimentação

Aumento do salário mínimo nacional limitou quantidade de servidores a serem contemplados com o benefício; sindicato também volta a ressaltar importância do auxílio criado pelo Estado
15/02/2024 15/02/2024 08:37 888 visualizações

O Sisepe-TO (Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins) solicitou, nesta quarta-feira, 14 de fevereiro, ao governo do Estado a correção do valor mínimo salarial dos funcionários públicos a serem contemplados com o auxílio alimentação de R$ 300.

Quando o benefício foi anunciado e criado (Lei 4.260 de dezembro de 2023) a ideia era contemplar todos os servidores públicos que recebem até dois salários mínimos. No entanto, no texto da lei o valor ficou em R$ 2.640, que era a soma de dois salários mínimos no ano passado.

Assim, com o governo federal reajustando o mínimo para R$ 1.412, a soma dos dois salários subiu para R$ 2.824. “Quando o governador Wanderlei Barbosa criou o benefício, ele tinha intenção justa e correta de contemplar aqueles que recebem menos. Com o aumento do salário mínimo, várias pessoas recebem pouco mais de R$ 2,6 mil, mas menos de R$ 2,8 mil perdem o benefício, o que não é justo. Por isso, vamos solicitar esse ajuste”, explicou o presidente do sindicato, Elizeu Oliveira.


O presidente voltou a ressaltar que a criação do auxílio alimentação foi uma excelente medida, atendendo uma reivindicação feita pela própria gestão do Sisepe. “Claro que nós queríamos um auxílio superior e com uma faixa salarial bem maior de contemplados, mas a vinda do benefício é muito positiva e nós temos que saudar a gestão estadual”, frisou o sindicalista.